1. O sucessor do Megaupload

São Paulo - O Mega já esta no ar. Lançado neste sábado, numa grande festa promovida por Kim Dotcom, em Auckland, na Nova Zelândia, O serviço é bem diferente do seu antecessor, Megaupload, fechado no ano passado pela justiça americana por ser um repositório ilegal de arquivos protegidos por direitos autorais. A INFO, que acompanhou o lançamento do serviço, já testou as funcionalidades do Mega. Conheça, a seguir, como ele funciona, seus recursos e vantagens – e se ele está pronto para enfrentar concorrentes como Dropbox e Google Drive.
2. O cadastro

O Mega é acessado no endereço http://mega.co.nz/. Para começar a usá-lo, o usuário precisa preencher um cadastro rápido com seus dados. Precisa apenas informar um endereço de e-mail, uma senha e, claro, concordar com as regras.    Nesta tela, é possível escolher o idioma - entre os oferecidos, está o português do Brasil. Ao concluir, o usuário recebe um e-mail para confirmar o cadastro e ganha, automaticamente, 50 GB de espaço no Mega para guardar e compartilhar arquivos.

3. Criptografia

Ao concluir o cadastro, o usuário é direcionado para uma tela que gera as chaves de criptografia vinculadas à conta. O processo não demora mais que alguns segundos. Segundo Kim Dotcom, essas chaves trancam os dados que são armazenados no serviço; e ninguém, nem mesmo os engenheiros do Mega, consegue saber o conteúdo dos arquivos que foram guardados nos servidores.    Nas regras de uso, o Mega deixa explícito que os dados armazenados nos servidores são de responsabilidade do usuário. E que se alguma confusão jurídica acontecer, Kim Dotcom e sua turma não terão nada a ver com ela.

4. A interface de controle

Feitos os trâmites burocráticos do serviço, a tela de “Administrador de arquivos” é aberta. É por ela que os dados são enviados para o servidor do Mega. A interface é bem simples e lembra o gerenciador de arquivos do Windows.    Na parte lateral direita dela, o usuário tem acesso ao ‘Cloud Drive’ – ele é o disco rígido da nuvem, onde ficam os dados como vídeos e músicas. Esta parte ainda tem uma pasta chamada lixo (que armazena os conteúdos apagados pelo usuário), a caixa de entrada (que concentra as mensagens enviadas por amigos ou administradores do Mega), e, por último, contatos (onde o usuário lista os amigos que também usam o Mega).    Na parte superior do gerenciador ficam os comandos para criar pastas dentro do serviço e fazer uploads de dados. O bacana é que esta tela é compatível com o recurso drag and drop. Com ele, o usuário só precisa arrastar o arquivo para a interface do Mega para fazer o upload.

5. Criptografia automática

Ao subir um arquivo, o Mega faz a criptografia automaticamente. O usuário não tem a opção de recusar a ação. Por uma simples razão: Kim Dotcom não quer ser processado de novo pelos tribunais americanos por causa de arquivos ilegais armazenados em seus servidores.    E o único jeito de fazer isso foi com a criptogtafia, pois, com ela, somente o usuário tem a chave para mostrar o conteúdo do arquivo. A tecnologia do Mega, diz Dotcom, garante ainda proteção contra a captura de dados que acontece na internet por sistemas espiões à revelia do usuário.

6. Respeite as leis

No fim do processo de upload, o usuário chega numa tela que entrega a chave criptográfica para abrir o arquivo, o link de download caso ele queira compartilhar o dado com um amigo, além de informações do arquivo armazenado no servidor, como tamanho e nome completo.    O interessante é que nesta tela, o Mega avisa que respeita as leis de direitos autorais e que não compactua com ações que colaborem para a disseminação ilegal de arquivos protegidos. E alerta o usuário que o serviço não pode ser usado para pirataria.

7. Mais espaço?

Ao se cadastrar no Mega, o usuário ganha 50 GB para guardar seus arquivos. Mas se o espaço não for suficiente, o usuário pode aderir aos planos pagos. Eles ficam disponíveis na aba Menu, na parte superior da interface do programa.    No modelo de assinatura mensal, o internauta paga 10 euros por 500 GB; 20 euros por 2 TB; e 30 euros por 4 TB.    Se quiser um desconto de 17% no valor, o usuário deve optar pelo plano anual. Neste caso, os valores cobrados são 100 euros por 500 GB; 200 euros por 2 TB; e 300 euros por 4 TB.    Para qualquer um dos planos pagos, o usuário deve usar um cartão de crédito internacional.

8. Upload rápido

Dotcom não gosta de serviços lerdos. Quando decidiu montar o Mega, pediu à equipe de engenharia que fizesse algo para funcionar com velocidade mesmo em conexões de internet lentas. Assim nasceu o acelerador Mega, que funciona diretamente no serviço, sem a necessidade de aplicativos.    A tecnologia fragmenta os arquivos que são enviados para os servidores do Mega em vários pedaços. Desse modo, o upload é feito de forma mais rápida. E o usuário pode subir, simultaneamente, até seis arquivos, sejam eles grandes ou pequenos. A tecnologia também é aplicada para acelerar os downloads dos dados.



Fonte: exame.abril.com.br

Compartilhe

Autodidatas - 2017

Flag Counter